Uma das principais alternativas para geração de energia limpa hoje em dia, a energia solar conquista cada vez mais adeptos em todo o mundo. Além disso, oferece soluções também no que diz respeito à economia na conta de luz. 

Desde que se tornou possível instalar sistemas em residências, a energia solar passou a ser muito mais acessível, outro fator muito importante para justificar o aumento da procura e interesse por sistemas fotovoltaicos. 

Esse artigo foi feito para você que tem dúvidas se vale a pena investir em um sistema fotovoltaico para a sua casa. Veremos a seguir os prós e contras desse tipo de projeto para que você tenha condições de tomar a melhor decisão. Boa leitura! 

Mais detalhes sobre a energia solar residencial

Para gerar energia solar em sua própria residência, o primeiro passo é investir em placas solares e sistemas de captação de energia fotovoltaica. Esses equipamentos são instalados no telhado da edificação para gerar energia elétrica mediante a presença dos raios solares.

Placas solares no telhado de uma casa que é equipada com energia solar
Placas solares no telhado de uma casa

Cada projeto fotovoltaico é desenvolvido levando em consideração as necessidades da edificação onde será instalado, como a quantidade de energia que precisa produzir para fazer o abastecimento devido. Assim, garantem certa autonomia com relação à produção de energia elétrica. 

A energia gerada pelos módulos fotovoltaicos é encaminhada até o inversor solar, um equipamento responsável por alterar a corrente elétrica de contínua para alternada, de modo a torná-la compatível com a corrente da residência. Uma vez convertida, essa energia está apta para suprir o funcionamento de lâmpadas, eletrodomésticos e demais equipamentos. 

A energia solar residencial se diferencia dos projetos comerciais e industriais basicamente por conta da potência da geração de energia do sistema. Estabelecimentos comerciais e indústrias geralmente precisam de uma potência superior para dar conta de abastecer suas necessidades energéticas, por isso precisam de um sistema com maior capacidade de captação de energia. 

Sabendo disso, agora é hora de conhecer os tipos de energia solar residencial. Confira quais são eles no tópico a seguir. 

Os tipos de sistemas fotovoltaicos residenciais

Investir na instalação de um sistema fotovoltaico para a sua casa pode trazer muitas mudanças positivas acerca do consumo e economia de toda a sua família. Para isso, é fundamental que você avalie todas as opções e possa escolher a que melhor atenda às suas necessidades

Atualmente, é possível escolher entre três tipos de sistemas fotovoltaicos para implementar em sua casa: sistema on grid, sistema off grid e sistema híbrido.

Você provavelmente já deve ter ouvido falar sobre o sistema on grid, mesmo que não saiba, pois ele é o mais conhecido e utilizado. É o sistema fotovoltaico padrão, com conexão direta com a rede elétrica. Sendo assim, o único requisito para instalá-lo é que o imóvel esteja localizado em uma área que tenha cobertura de uma concessionária de energia.   

Ao escolher o modelo on grid, toda a energia excedente produzida pelo sistema fotovoltaico é enviada para a distribuidora de energia, gerando créditos energéticos que são descontados na conta de luz. Além disso, quando o sistema por algum motivo não conseguir gerar energia o suficiente para abastecer a residência, a rede elétrica complementa o que falta.

O sistema off grid, por sua vez, não possui ligação com a rede elétrica. Sendo assim, é uma opção mais atraente para quem prefere optar por um equipamento com mais autonomia.

Esse tipo de sistema é implementado principalmente em edificações localizadas em lugares mais distantes e isolados, onde nem sempre há cobertura do sistema de energia elétrica das distribuidoras. 

Placas solares para captação de energia solar
Placas solares

A energia excedente produzida por um sistema off grid é armazenada em um banco de baterias. Assim, garante a alimentação da residência mesmo em dias chuvosos, nublados ou à noite, quando o sistema não produz energia em função da ausência dos raios solares. 

Por fim, os sistemas híbridos, como o próprio nome sugere, são simplesmente a combinação das duas formas de funcionamento já citadas. Ao mesmo tempo em que esse tipo de sistema está conectado à rede de energia, também é capaz de armazenar a produção excedente nas baterias.

O sistema híbrido integra as vantagens dos sistemas on grid e off grid em um só, dessa forma oferecendo mais independência ao consumidor. Como a rede elétrica é usada menos vezes do que no sistema on grid comum, o sistema híbrido possibilita uma redução ainda maior na conta de luz. 

Que a energia solar agrega diversas vantagens, não há dúvidas. Mas para tomar uma decisão consciente, é preciso avaliar também o outro lado da moeda. Saiba mais a seguir. 

Prós e contras da energia solar residencial 

Ao instalar um sistema solar fotovoltaico em sua residência, você tem a possibilidade de reduzir os gastos com a sua conta de luz em até 95%. Essa informação, por si só, já é muito favorável à realização desse tipo de projeto, mas há outros fatores que precisam ser levados em consideração. 

Um dos principais impedimentos para a implementação desse tipo de equipamento diz respeito ao seu custo, já que exige um alto investimento inicial. Os preços para instalação de um sistema fotovoltaico podem variar bastante, entre 10 mil até 40 mil reais.

Como mencionado anteriormente, o projeto é desenvolvido levando em consideração as necessidades de cada imóvel.

A quantidade de placas de energia solar e o valor vai depender do seu projeto.
A quantidade de placas e o valor vai depender do seu projeto.

Alguns fatores que influenciam no custo final são: a qualidade do painel solar e do inversor; a altura da propriedade, devido ao risco envolvido na instalação; e o tipo de telha e/ou cobertura, por conta do nível de dificuldade da instalação e da estrutura de fixação necessária para prender as placas solares no telhado.

Ainda que envolva um grande capital inicial, o sistema solar apresenta retorno financeiro após alguns anos de uso, já que a economia nas contas de luz acaba abatendo o valor do investimento.

Vale lembrar que o equipamento possui uma vida útil longa, de cerca de 25 anos, e requer manutenção simples, que nem sempre envolve mão de obra qualificada. Outro aspecto financeiro positivo é o fato da energia solar residencial contribuir com a valorização do imóvel.

Considerando todo o investimento de compra e instalação e a pouca manutenção que demanda, a energia solar acaba saindo, a longo prazo, ainda mais barata do que a energia comprada da distribuidora de energia elétrica. 

Sendo assim, se você tem o valor inicial necessário disponível, esse é um investimento que vale a pena fazer, pois com o passar dos anos é como se o sistema pagasse a si próprio. 

O que achou desse artigo? Compartilhe com outras pessoas para divulgar as vantagens da energia solar residencial.

Posts Similares

Estórias Solares