Instalar inversor solar é um procedimento que vai pedir alguns equipamentos e técnicas que garantam a segurança de todas as pessoas envolvidas, além do funcionamento correto do aparelho.

Embora muitos acreditem que o processo de utilização de energia solar só vai depender de painéis projetados para tal, o inversor solar é outro aparelho necessário para permitir a utilização de energia renovável no seu imóvel.

Além disso, o aparelho também vai pedir uma estrutura adequada para a sua instalação e conta com diferentes modelos — cada qual com uma indicação de uso que varia de acordo com as necessidades energéticas de uma propriedade. 

Preencha os dados abaixo que respondemos na próxima live e lhe avisaremos por email.

Sendo assim, é muito importante conhecer os modelos e todos os procedimentos necessários para garantir uma instalação efetiva e segura a todos. 

Neste post, você vai compreender como o aparelho funciona, porque ele é tão importante no processo de instalação de energia solar em um imóvel e quais cuidados são essenciais durante o ato de instalar inversor solar. Continue a leitura para saber mais!

O que é o inversor solar? 

O primeiro passo a ser tomado antes de começar a instalação do inversor solar é, de fato, compreender e entender o que é um inversor. 

Basicamente, o inverso solar é o aparelho que fica responsável pela missão de transformar a energia gerada pelo painel fotovoltaico de energia corrente contínua para energia corrente alternada. Em termos mais simples, sua função é adaptar a energia gerada pelas placas em uma fonte que possa ser utilizada pela nossa rede elétrica tradicional.  

modelos de inversor solar
Algumas instalações de inversores solares exigem a homologação do aparelho pelo INMETRO.

Ele deverá ser usado, pois, no processo de captação de energia solar, a energia gerada (no caso, a fotovoltaica) ainda não poderá ser utilizada. Isso acontece porque a corrente formada será do tipo contínua (CC). Enquanto isso, o padrão adotado nas residências requer a utilização de energia alternada (CA). Por isso, a conversão da força é necessária. 

Em seu funcionamento, o inversor vai enviar a tensão alternada logo na saída. Assim, a corrente de energia gerada para a linha terá as características adequadas que vão garantir o funcionamento apropriado de todo o sistema de eletricidade. Para isso, você deverá instalar inversor solar perto do quadro de luz, assim também como em áreas específicas do seu imóvel.

Leia também: 17 Maneiras de reduzir o custo da conta de luz 

Como o aparelho funciona?

Diferentemente das placas fotovoltaicas, o inversor solar é um aparelho que não precisa — e não deve — ficar exposto à luz do sol para funcionar. Olhando de fora, o inverso tem uma aparência bem simples (alguns, inclusive, nem possuem botões), mas seu interior contém diversas chaves eletrônicas, interruptores e componentes tecnológicos.

inversor solar
É importante ressaltar que a escolha do aparelho inversor considere os padrões e normas internacionais de uso, assim como seu grau de qualidade e produção segura.

Seu funcionamento se dará através de um sinal de Wi-Fi, enviando dados de geração do sistema, que podem ser acompanhados por meio de aplicativos para celular ou computadores. Em alguns modelos, esse acompanhamento poderá ser feito pelo próprio aparelho, caso disponha um visor com as informações técnicas. 

Tipos de inversor solar 

Graças a democratização do uso de energia solar, o mercado passou a produzir diversos modelos de inversores.

Embora todos eles funcionem com o mesmo propósito, seus modelos podem variar de acordo com a forma de instalação ou como vão lidar na transformação e direcionamento de energia em uma propriedade. Confira alguns modelos diferentes que o mercado disponibiliza a seguir.

Modelo de Inversor off-grid

O modelo de inversor solar off-grid é aquele geralmente utilizado em sistemas off-grid, ou seja, fora da rede (a tradução direta de “off-grid”). Em outras palavras, são aqueles aparelhos instalados em locais isolados de rede elétrica — espaço onde toda a energia de um imóvel é atendida. 

cropped-energia-solar-on-off-grid-vantagens.jpg
A utilização de inversores off-grid são recomendados apenas para locais onde não há acesso à energia elétrica.

Em seu funcionamento, é feita a utilização de um banco de baterias que armazena a energia gerada durante o dia por meio dos painéis. Assim, ele poderá atender o consumo de energia noturno daquela propriedade, ou em dias chuvosos e nublados — cuja captação de raios solares será menor.  

Assim, os modelos de inversores off-grid devem conseguir interagir com o painel solar e com o banco de baterias disponível. Após adaptar a energia vinda das placas fotovoltaicas, o inversor irá direcionar aquela carga diretamente para alimentar as baterias do sistema. Então, para atender o consumo elétrico, o inversor obtém a quantia necessária para carregar as baterias. 

Os sistemas off-grid também contam com outro equipamento além dos inversores, conhecidos como controlador de carga. Ele, por sua vez, será responsável por gerir a carga das baterias dos inversores para evitar problemas como o sobrecarregamento de energia.

Em contrapartida, a instalação de baterias e controladores pode ser exponencialmente cara comparada com outros sistemas, por isso, sua utilização é apenas recomendável para locais totalmente sem acesso à rede elétrica. 

É importante ressaltar que os modelos de inversores off-grid não conseguem interagir diretamente com a rede elétrica e também não podem ser utilizados em sistemas on-grid, cujo funcionamento você conhecerá na próxima seção. 

Modelo de inversor on-grid ou grid-tie

Já o modelo de inversor grid-tie (ou on-grid) é aquele conhecido como inversor interativa ou inversor on-grid (traduzido do inglês, significa “na rede”). Nos sistemas dos inversores on-grid, seu funcionamento é permitido com a ajuda da própria rede de distribuidora elétrica — funcionando aqui como a bateria. 

Em seu processo, ele recebe energia durante o dia e ajuda a suprir o gasto de energia durante a noite ou em períodos chuvosos e nublados. Assim que ele adapta a energia gerada pelo painel, o inversor, então, envia essa força até o quadro geral para ser distribuída e atender sua residência ou imóvel. 

Saiba de vale a pena um sistema híbrido de energia solar na sua casa
Saiba de vale a pena um sistema híbrido de energia solar na sua casa

Em casos do sistema gerar mais energia que aquela que será consumida, o inversor vai injetar toda a potência excedente na rede elétrica. Nesse sistema, é como se o inversor emprestasse a energia da distribuidora e seu valores excedentes retornassem para compensar o uso inicial. 

De acordo com as regras de geração de energia distribuída, estipuladas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), as distribuidoras são obrigadas a compensar todo o gasto de energia elétrica por meio dos “créditos energéticos”. Por exemplo, durante a noite, momento em que o painel de captação dos raios solares não será utilizado, o inversor é desligado automaticamente e a energia da rede passa a ser utilizada normalmente — neste caso, é como se surgisse um “débito” no valor emprestado. 

Então, no final de um mês, a distribuidora automaticamente subtrai o débito consumido dos créditos que foram gerados, e os apresenta no saldo da sua conta de luz. Os sistemas são projetados para atender o consumo de um imóvel, que, por sua vez, podem ser quase que totalmente suficientes para abater o consumo final. Em caso de “sobra”, os créditos são válidos por até cinco anos. 

Outra característica importante dos inversores on-grid é o sistema de anti-ilhamento de cada um deles, que, por sua vez, são exigidos pela lei. Ou seja, isso significa que eles são capazes de se desligarem automaticamente em caso de uma queda da rede elétrica, por exemplo. Assim, eles não vão dar continuidade ao processo de injeção de energia enquanto os técnicos da rede trabalham para reparar a rede de distribuição. 

a energia solar pode gerar uma economia de até 95% da conta de luz
A energia solar pode gerar uma economia de até 95% da conta de luz

Contudo, embora seja uma precaução interna necessária, ocasionalmente, seu sistema poderá resultar na interrupção momentânea do funcionamento de um sistema. Por estarem sempre conectados a rede elétrica, os inversores também conseguem detectar qualquer problema ou comportamento estranho que possa aparecer na rede, como problemas na frequência ou instabilidade de tensão elétrica. 

Dessa forma, eles vão conseguir repassar a energia alternada para o imóvel ou residência rapidamente. Como dito anteriormente, eles podem ser utilizados em pequenos comércios ou casas e apartamento, mas também podem ser indicados a projetos de grandes usinas solares.

Diferentes modelos de inversores on-grid 

O inversor on-grid possui diversas variações, que são definidos pela potência de cada um, visto que cada aparelho é produzido para trabalhar sob determinadas potências de energia. 

Sendo assim, o que vai determinar a escolha dos modelos é a potência-pico do painel solar instalado naquele empreendimento que, por sua vez, é calculada na voltagem Watt-pico (Wp). Isso é importante para que não ultrapasse a energia básica gerada nas condições ideais para utilização da energia solar. 

Os inversores on-grid são subdivididos em três categorias diferentes, que vão variar de acordo com a potência com a qual possuem a permissão para operar; conheça-os a seguir.

on grid
As vantagens da energia solar podem ser destacadas pela obtenção de energia renovável, como também do material de fabricação das placas fotovoltaicas.
Inversor Central

Indicado para grandes usinas, o inversor central do tipo on-grid poderá gerar uma grande potência (acima de 100 kW) para gerenciar os processos que utilizem milhares de placas ou energia das centenas. 

Contudo, será possível utilizar vários inversores menores associados em série e controlados de forma central nas indústrias. 

Inversor de string ou string-inverter

Mencionados anteriormente, os mini e microgeradores de distribuição, que contém placas menores, utilizam inversores de baixa potência, conhecidos também como inversores de string. Eles são utilizados também em sistemas fotovoltaicos residenciais ou em pequenos empreendimentos, que usam, no máximo, dois inversores. 

Também é possível utilizar inversores de string em grandes empresas, ou em agroindústrias, ao adquirir três aparelhos — ou mais. O que vai depender da quantidade a ser adquirida é a potência-pico do painel nesses lugares — que, por sua vez, dependerão do resultado da soma de todas as potências individuais das placas solares instaladas. 

Microinversores

O mercado também disponibiliza modelos de microinversores. Geralmente, eles contam com uma potência inferior (menores que 300 W) e são fabricados para se conectar somente a uma placa solar instalada. 

Contudo, os microinversores possuem todas as características fundamentais que compõe um inversor de string. A única diferença entre eles, de fato, será a potência — nesse caso, mais reduzida comparada a um modelo de string. 

De acordo com boa parte dos fabricantes, o microinversor é capaz de aumentar a potência geral de um painel, visto que cada um dos modelos consegue aproveitar o rendimento energético de uma placa solar ao máximo. Sem contar que, em caso de problema ou mal uso, o microinversor não significará uma perda muito expressiva na geração do seu arranjo fotovoltaico.

Leia também: Energia Solar On grid e Off grid. Qual é a melhor escolha para seu imóvel?

Modelo de Inversor Híbrido

Finalizando, o último modelo de inversor disponível no mercado é o híbrido, que mistura os modelos de operação dos off-grid e on-grid. Aliás, é possível afirmar que um inversor hibrido, na verdade, é composto pela junção das partes de um inversor off-grid e um on-grid no mesmo aparelho.

Instalações híbridas são aquelas cujo sistema pode funcionar tanto com a rede como com a bateria solar simultaneamente e sem interferências. A diferença, no entanto, será no uso da bateria. Aqui, ela não desempenhará a função de armazenar toda a energia a ser consumida durante a noite, e sim, vai funcionar como uma espécia de sistema de backup — que copia os dados originais para ser utilizado em situações atípicas. 

geradores fotovoltaicos
Um dos principais motivos na alta da procura de geradores fotovoltaicos está no fato de reduzir os gastos com a conta de luz. 

Por exemplo, se a rede elétrica cair durante o dia, a bateria do inversor híbrido será ativada para suprir as necessidades de energia de um imóvel até que a sua distribuição comum volte aos conformes. Quando isso acontece, o inversor vai se desconectar automaticamente e o sistema autônomo vai seguir alimentando o imóvel com a energia disponível na bateria. 

A partir do momento em que a rede elétrica volte a funcionar, a parte interativa também retornará — causando o desligamento do sistema autônomo. Nos últimos tempos, o mercado vem se adequando para aumentar a produção desse tipo de inversor, contudo, seu valor ainda é exponencialmente caro do que os demais aparelhos tradicionais.

Leia também: Como funciona o financiamento de energia solar na Solfácil? Quais as vantagens?

Como escolher o inversor solar?

Como você já deve ter visto, o mercado de energia solar disponibiliza diversas opções para os consumidores. Mas com tantos modelos diferentes, qual seria a melhor alternativa para você? 

Em primeiro lugar, deve ser considerado o tamanho do painel fotovoltaico para, então, escolher um aparelho que siga de acordo com a sua potência e tipo. Em seguida, você deve selecionar a marca seguindo as necessidades do seu uso. Por sua vez, é importante rever os acordos em relação à eficiência do equipamento escolhido. Quanto maior for a sua eficiência, melhor será a quantidade de energia a ser aproveitada no seu painel solar. 

Outro ponto é ficar atento à confiabilidade do aparelho selecionado, tente optar por um que possua garantida de longa vida de utilidade de sistema. 

Ao escolher um sistema on-grid, é importante ficar atento também ao seu registro no Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMETRO). De acordo com as normas da ANEEL, só serão aceitos pelas distribuidoras de energia do Brasil sistemas já homologados pelo instituto. 

Em outras palavras, se o aparelho escolhido não conter o registro do INMETRO, ele não será aceito para distribuidora de energia, independentemente de seu valor ou qualidade segundo o mercado. Há uma lista no site do INMETRO com todos os modelos de inversores homologados para facilitar a sua escolha. 

Já em sistemas que são isolados da rede de energia, o registro do INMETRO não será um pré-requisito para a sua instalação. 

Dentre os critérios utilizado para que você faça a melhor escolha de aparelho de inversor solar, destacamos as seguintes: 

  • suporte e assistência técnica;
  • qualidade e confiabilidade do aparelho;
  • características gerais do inverso; 
  • garantia do equipamento;
  • monitoramento de uso;
  • preço.

Instalar inversor solar: como é o processo de instalação? Veja o passo a passo

Agora que você já escolheu um modelo apropriado de acordo com as necessidades energéticas do seu imóvel, chegou o momento de realizar o processo de instalação do aparelho de inversor solar. 

Novamente, é importante ressaltar que a escolha do aparelho leve em consideração os padrões e normas internacionais de uso, seu grau de qualidade e produção segura. Esses pontos vão garantir não somente a sua eficiência durante o uso, como também vão impedir riscos à segurança dos funcionários ou moradores do imóvel que o utilizará posteriormente. 

A seguir, veja o passo a passo para instalar inversor solar.

  1. Planejamento do sistema: será necessária uma avaliação prévia antes de instalar inversor solar, que medirá a capacidade de energia gerada pelo aparelho e definirá as propriedades do seu uso. A partir dessa análise, você conseguirá definir qual será a melhor abordagem para realizar a sua instalação;
  2. Cabeamento: Em seguida, realize o cabeamento indicado para a situação do seu imóvel. Nesta etapa, é indicada a utilização de materiais específicos para a corrente alternada (CA), além de outros fatores, como a conexão com a rede ao fim da fase; 
  3. Procedimentos durante a instalação: Enquanto estiver realizando a implementação do inversor, é indicado também contar com o auxílio de uma string box, máquina que ajuda a controlar a melhor atuação de inversão; 
  4. Conte com a ajuda de uma equipe: Outra recomendação é utilizar uma equipe especializada durante a instalação do inversor solar. Esse procedimento vai garantir que todos os parâmetros e normas de segurança serão seguidos a rigor, de modo a evitar problemas futuros com a instabilidade ou perda do desempenho, entre outros; 
  5. Conclusão: Ao fim da instalação, é importante descobrir se a energia fotovoltaica será usada da forma esperada.

Lembre-se de que os inversores solares podem ser instalados em locais diferentes de um imóvel. Em uma casa, por exemplo, eles podem ficar perto do quadro de luz ou próximo ao sistema fotovoltaico instalado previamente. Já no caso de distribuidores ou fábricas, é aconselhável que a instalação ocorra em uma área reservada apenas para abrigar os aparelhos. 

O local ideal para instalar inversor solar vai depender das necessidades do seu uso. Ou seja, tanto poderá ficar próximo — para que a produção de energia conte com monitoramento dedicado —, quanto longe — devido aos ruídos emitidos durante o processo, que, muitas vezes, podem desagradar os ouvidos das pessoas próximas a ele. Leia mais sobre a escolha do local de instalação a seguir.

Onde instalar o inversor solar? Mais orientações

Tenha em mente que um sistema fotovoltaico é, basicamente, uma instalação elétrica como qualquer outra, sendo assim, o grau de atenção para a sua implantação deve igualmente segura e cuidadosa. 

É indicado que sua instalação ocorra em um local de fácil acesso para a assistência técnica não ter problemas durante a realização de manutenções ou reparos. Contudo, ele deve se manter longe do alcance das pessoas que não estão cientes sobre os riscos de eletricidade ou de alta voltagens. 

O local ideal também considera sua proximidade do quadro geral de distribuição de energia do imóvel: quanto mais perto, melhor. Fique atento à distância entre o inversor e o painel fotovoltaico. 

instalar inversor solar
Instalar inversor solar é uma tarefa que pode exigir o auxílio de uma equipe técnica especializada.

Locais que oferecem boas opções para instalação são áreas de serviço ou garagens, desde que atendam às exigências necessárias. O espaço indicado também deve ser coberto, mas com acesso à ventilação e longe de outras fontes de calor (fogões, fornos a lenha, churrasqueiras, entre outros), e distante de tomadas de água (torneiras, máquinas de lavar, piscinas e afins). 

Não é recomendável a instalação dos inversores em áreas comuns, como em quartos e salas de estar, mesmo que o visual do aparelho conte com um design moderno e passabilidade como um eletrodoméstico comum. Essa indicação ocorre devido a dois fatores: os barulhos durante o seu funcionamento e o aquecimento dos aparelhos enquanto estão em uso. 

Os manuais de instalação do aparelho ajudam a informar áreas indicadas para que o inversor consiga dissipar seu calor sem problemas.

Viu como é fácil instalar inversor solar? Além de compreender todos os cuidados e medidas necessárias para assegurar a segurança e a funcionalidade do aparelho, escolher o aparelhamento que cumpra às expectativas do seu imóvel vão garantir rentabilidade do orçamento devido à futura eliminação de gastos expressivos com contas de energia.

Melhor parceira do Integrador

Muito mais que um banco, somos uma empresa parceira e oferecemos um ecossistema completo de soluções para o integrador de energia solar.

A Solfácil é uma plataforma tecnológica para financiamento de energia solar feita para você, integrador. Em nossa plataforma, você poderá controlar todos os seus projetos de financiamento e homologação em processos bem definidos.

Tudo 100% digital, para que você, parceiro integrador, consiga vender cada vez mais.

Sendo nosso parceiro, você terá acesso a uma solução financeira robusta que vai ajudar a viabilizar totalmente os seus projetos, pois seu cliente sempre terá uma opção de economia imediata com prazos de até 120 meses.

 

Confira aqui o story do post!

Posts Similares

Estórias Solares