Assim como a maioria das atividades econômicas, o agronegócio também depende, em sua maioria, de energia elétrica. Como sua produção envolve tarefas intensas e numerosas, resulta em alto gasto energético e perdas financeiras consideráveis para os agricultores e pecuaristas. 

Essa é uma das principais razões pelo aumento da adesão de energia solar no agronegócio, principalmente no Brasil, onde há espaços amplos de cultivo para a produção rural, que se beneficiam com uma boa incidência solar.

Além disso, essa tecnologia garante maior competitividade ao agronegócio. Esse modelo tende a crescer muito, garantindo segurança energética, estabilidade jurídica, previsibilidade e maior autonomia para os produtores rurais.

Confira a seguir, com detalhes, alguns bons argumentos para ter sucesso nas vendas de energia solar aos seus clientes do agronegócio. 


Confira a Live de MKT Digital para o Integrador


Proteção contra preços abusivos no agronegócio

O valor da conta de luz tornou-se uma preocupação em muitos lares e negócios brasileiros nos últimos anos, o que se deve, em partes, pela alta carga tributária, que também gera certa imprevisibilidade nos valores.

Isso se deve principalmente à sobrecarga das hidrelétricas. Quando essas usinas não são capazes de atender à demanda por energia devido ao baixo nível dos seus reservatórios, é necessário acionar as termelétricas, que têm custo mais elevado e também são mais poluentes ao meio ambiente.  

O uso de energia solar no agronegócio, gera muita economia de despesas, proporcionando oportunidade de investimento em seu negócio
O uso de energia solar no agronegócio, gera muita economia de despesas, proporcionando oportunidade de investimento em seu negócio.

Enquanto isso, a energia solar está ganhando cada vez mais espaço justamente devido à grande economia que é capaz de proporcionar. Com a adoção dessa tecnologia, os gastos com eletricidade podem ter uma redução de até 95%.

Isso é possível porque a obtenção de licença para a instalação do sistema de energia solar requer apenas o pagamento de uma taxa à concessionária local.

Já no caso da energia elétrica convencional, é preciso efetuar o pagamento de uma série de impostos, como o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), o Programa de Interação Social (PIS) e a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS).

Redução de custos na produção

A possibilidade de obter economia no consumo de eletricidade é um dos principais atrativos da energia solar. Como muitas atividades do agronegócio demandam uso intensivo de energia elétrica, essa tecnologia representa a possibilidade de remanejamento de recursos e, consequentemente, maior desenvolvimento para o agronegócio como um todo. 

Bombeamento de água e irrigação, refrigeração, resfriamento de tanques, eletrificação de cercas, ordenha, secagem de grãos, estufas, iluminação e manutenções em geral… tudo isso representa um gasto que compromete boa parte do orçamento do produtor rural.

Mas por meio da geração da própria energia elétrica via sistemas fotovoltaicos, é possível reduzir consideravelmente esses gastos, garantindo maior competitividade ao agronegócio. 

Redução de custos na produção do agronegócio
Redução de custos na produção

Além da diminuição nos custos de produção, a instalação de um sistema de energia solar também oferece vantagens relacionadas à redução de gastos com manutenção e ao alto retorno sobre o investimento do produto. 

Com toda essa economia, é possível direcionar investimentos em outros setores, como, por exemplo, automatizando e modernizando a agropecuária, como você verá no próximo tópico. 

Automatização e modernização da agropecuária

Como os produtores já sabem, investir no uso de máquinas modernas e na automatização e monitoramento da produção é essencial para garantir a eficiência do agronegócio. Tudo isso só é possível com acesso à energia e internet de qualidade, e é nesse sentido que a energia solar oferece mais vantagens.

O mundo da agropecuária vem passando por uma revolução, assim como o mundo da geração de energia
O mundo da agropecuária vem passando por uma revolução, assim como o mundo da geração de energia.

A rede pública de distribuição muitas vezes apresenta algumas instabilidades no fornecimento de energia, principalmente para as áreas rurais. Isso pode significar alguns prejuízos para a produção.

Com isso em mente, adotar a energia solar é uma forma não apenas de garantir o abastecimento elétrico, mas também de viabilizar o funcionamento da estrutura de telecomunicações em locais mais afastados, o que nos leva ao próximo argumento a favor da energia solar para o agronegócio. 

Maior autonomia para o produtor

Ao investir em energia solar fotovoltaica, o produtor ganha mais independência em relação a outras fontes de produção de energia. Como depende basicamente da luz do sol e da tecnologia para transformá-la em energia elétrica, a energia solar pode ser implementada até mesmo nas regiões mais isoladas, onde o sistema elétrico convencional não chega. 

Com os diferentes tipos de instalação dos painéis fotovoltaicos, é possível armazenar a energia em baterias (em sistemas off-grid) ou optar pela conversão de créditos com os excedentes (em sistemas on-grid). 

A energia solar pode maior autonomia para os produtores
A energia solar pode maior autonomia para os produtores.

Assim, há garantia de fornecimento energético mesmo durante os períodos com falta de claridade, como à noite ou em dias chuvosos. Isso significa que dificilmente o negócio passará por uma situação de racionamento, diminuindo os riscos de prejuízo ao produtor em função da falta de energia. 

Produção de energia sustentável no agronegócio

A energia solar é uma fonte de energia sustentável, ou seja, que faz uso de um recurso que não corre o risco de se esgotar tão cedo. É uma alternativa às termelétricas, por exemplo, que funcionam a partir da queima de combustíveis fósseis, que além de ser esgotáveis, também emitem resíduos que poluem o planeta. 

O desenvolvimento sustentável refere-se às formas de satisfazer as demandas atuais sem comprometer o futuro. Isso significa uma preocupação em buscar alternativas que não esgotem os recursos naturais que estão disponíveis atualmente. 

A produção de energia sustentável é uma alternativa cada vez mais procurada pelos agronegócio
A produção de energia sustentável é uma alternativa cada vez mais procurada pelos agropecuaristas.

Já faz alguns anos que a sustentabilidade está ganhando força e sendo amplamente difundida, principalmente no ambiente empresarial e do agronegócio.

Negócios que adotam práticas sustentáveis têm mais chances de criar uma relação de confiança com seus consumidores. Isso se deve à preocupação crescente em priorizar marcas e produtos que se mostram comprometidos com a preservação do meio ambiente.

Esse é mais um argumento atrativo para apresentar aos seus clientes do agronegócio, cuja reputação pode fazer bom proveito do uso de energia solar

Linhas de financiamento exclusivas para o agronegócio

Como a energia solar também requer um alto investimento, é de grande interesse dos clientes em potencial saber a respeito de formas de viabilizar e facilitar sua aquisição. 

A boa notícia é que atualmente há diversas linhas de financiamento exclusivas para empresários que desejam adotar tecnologias para geração de energia renovável. Muitos bancos brasileiros, públicos e privados, estabeleceram formas de compra bastante acessíveis. Confira algumas delas a seguir. 

Através da linha Construcard, a Caixa Econômica Federal oferece a possibilidade de financiamento com parcelas de até 240 meses, a juros de apenas 2% ao mês. 

Já o Banco do Brasil conta com dois programas, o Proger Urbano Empresarial e o FCO Empresarial. O primeiro usa o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) como base, com opções de parcelamento de até 72 meses. Já o segundo é exclusivo aos trabalhadores dos setores rural, turismo, comércio e serviços.  

Dicas de linhas de crédito para energia solar
Dicas de linhas de crédito para energia solar

Por meio da linha de financiamentos Mais Alimentos, o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (PRONAF) financia projetos de até R$300 mil com taxas de 5% ao ano.

Com parcelas de financiamento em 60 meses, o Santander viabiliza a obtenção de sistemas fotovoltaicos e outros bens de consumo através do programa Santander Financiamentos.  

O Banco do Nordeste, por sua vez, desenvolveu o FNE Sol, um programa direcionado a projetos de energia solar, com parcelas de até 145 meses, sem taxas. 

Há também possibilidades oferecidas pelo Sistema de Crédito Cooperativo (SICREDI), que trabalha com parcelas de financiamento de 60 meses, com taxas de 1 a 3% ao mês. 

Oportunidades para investir em energia solar é o que não falta. Os muitos incentivos oferecidos pelos bancos são mais um argumento que trabalha a favor da obtenção desse tipo de tecnologia por parte do agronegócio.

Caberá a você, que conhece a realidade de cada um dos seus clientes, indicar as linhas e condições que mais se encaixam nas características de cada negócio.

Melhor parceira do Integrador

Muito mais que um banco, somos uma empresa parceira e oferecemos um ecossistema completo de soluções para o integrador de energia solar.

A Solfácil é uma plataforma tecnológica para financiamento de energia solar feita para você, integrador. Em nossa plataforma, você poderá controlar todos os seus projetos de financiamento e homologação em processos bem definidos.

Tudo 100% digital, para que você, parceiro integrador, consiga vender cada vez mais.

Sendo nosso parceiro, você terá acesso a uma solução financeira robusta que vai ajudar a viabilizar totalmente os seus projetos, pois seu cliente sempre terá uma opção de economia imediata com prazos de até 120 meses.

Confira aqui o story do post!

Posts Similares

Estórias Solares