A energia solar se tornou uma solução muito visada de uns anos para cá, em função das muitas vantagens que oferece. A principal e mais atrativa é a economia na conta de luz, que pode alcançar reduções de até 95%.

Para ter energia solar na sua casa, empresa ou comércio, é preciso atentar para as etapas necessárias da sua instalação. A autorização por meio da homologação é uma delas. Confira no a seguir porque você deve homologar sua energia solar.  

Por que precisa pedir autorização para instalar energia solar? 

Apesar da instalação de um sistema solar fotovoltaico ser um procedimento considerado relativamente simples, ainda assim precisa cumprir com uma série de requisitos referentes à segurança e eficiência do projeto.

A homologação é uma dessas exigências, e serve para conceder a autorização necessária para que o sistema seja regularizado. Essa é a forma de garantir que a instalação vai funcionar adequadamente, atendendo às expectativas e necessidades do consumidor. 


Confira a Live de MKT Digital para o Integrador


Por que precisa pedir autorização para instalar energia solar?
Por que precisa pedir autorização para instalar energia solar? 

Além disso, essa etapa serve também como uma maneira da concessionária de energia fiscalizar o projeto. Para isso, acompanha a instalação dos equipamentos e para averiguar se todas as normas e especificações de segurança da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) estão sendo apropriadamente seguidas. 

Nem sempre a homologação do sistema fotovoltaico é necessária. Isso vai depender do tipo de sistema escolhido para a instalação em questão. No caso dos sistemas off-grid (que não têm conexão com a rede pública, portanto dependem de um banco de baterias para armazenamento da energia), não é realizada a homologação, pois seu funcionamento não dependerá em nenhum momento da rede pública de distribuição de energia. 

Essa etapa é feita apenas na instalação de sistemas fotovoltaicos do tipo on-grid (ou grid-tie), que são conectados à rede pública, com geração de créditos pela energia excedente produzida.

Assim sendo, todo consumidor que optar por esse modelo de sistema em sua residência, comércio ou empresa, deverá realizar a homologação. O mesmo vale para sistemas híbridos, que, apesar de contarem com um banco de baterias, também possuem conexão com a rede de distribuição da concessionária local. 

Sistemas híbridos também devem ser homologados
Sistemas híbridos também devem ser homologados.

A homologação é uma etapa obrigatória para sistemas on-grid e híbridos, pois o excedente da energia produzida pelas placas solares é injetado diretamente na rede pública, sendo necessária sua autorização e regularização.

Confira a seguir os principais riscos e consequências que o consumidor pode enfrentar caso opte por não realizar a homologação. 

Quais os riscos de não solicitar a autorização da concessionária?

O sistema on-grid é o mais usado pelos consumidores de energia solar, pois é o mais indicado para instalações próximas a centros urbanos, onde há abastecimento de energia pela concessionária. Há diversos problemas que podem ser resultantes da falta de homologação de um sistema desse tipo, como ser considerado roubo de energia. 

Instalar um projeto de energia solar conectado à rede de distribuição sem solicitar autorização para tal é considerado um ato ilegal, justamente por envolver a rede pública de energia.

Além disso, é uma infração que pode representar um risco à segurança de todos que estão expostos ao sistema, desde os técnicos responsáveis pela instalação até as pessoas que irão usufruir da energia no local.  

A Homologação é necessário em casos off e on-grid
A Homologação é necessário em casos off e on-grid

Trata-se de um procedimento padrão, que visa fazer a averiguação de todo o projeto fotovoltaico. Por meio da homologação, é verificado se a instalação atende às especificações das normas de segurança.

Essa é a única forma de garantir que o sistema está devidamente conectado à rede de distribuição. O processo é realizado junto da concessionária de energia elétrica do seu município ou região. 

Sem a homologação, não é feita a troca do medidor de energia pelo modelo bidirecional, que trabalha convertendo e contabilizando os créditos referentes ao excedente de energia. Por não haver a troca, o sistema corre o risco de não funcionar de maneira adequada, comprometendo a geração de créditos e oferecendo riscos até mesmo de aumento nos valores das contas de luz. 

É preciso que seja solicitada a autorização para instalação do sistema, para que toda a energia excedente seja devidamente revertida em créditos energéticos.

Os créditos são importantes pois impedem que o consumidor fique sem energia quando o sistema fotovoltaico não opera com seu pleno potencial de desempenho. Eles podem ser utilizados em até 60 meses, o equivalente a 5 anos. 

Os créditos podem ser usados em até 05 anos
Os créditos podem ser usados em até 05 anos.

Se você deseja investir na instalação de um sistema de energia solar on-grid ou híbrido, não deixe de lado a etapa da homologação. Com um projeto regularizado, você terá a chance de gerar energia solar segura e eficiente, sem os riscos de acusação de roubo.

Mas fique tranquilo, para realizar a homologação você contará com a orientação da empresa contratada para fazer a instalação. Para entender melhor como funciona esse procedimento, prossiga para o próximo tópico. 

Como é feita a homologação?

Apesar de envolver alguma burocracia, a homologação é um processo simples, solicitado pela empresa responsável pelo desenvolvimento do projeto e instalação do sistema fotovoltaico. 

Tudo começa com a solicitação do acesso à rede de distribuição de energia, o que é feito diretamente com a distribuidora de energia local. Essa etapa é realizada antes mesmo da instalação do sistema. A partir desse momento, cabe à concessionária analisar o projeto e conceder a autorização em até 15 dias.  

O primeiro passo é informar à concessionária de energia local
O primeiro passo é informar à concessionária de energia local.

Uma vez que o projeto esteja aprovado, é hora da equipe contratada pôr mãos à obra e dar início à instalação do sistema. Essa etapa pode demorar de acordo com a disponibilidade da empresa contratada e do tamanho do projeto. 

Com a instalação concluída, a empresa de energia solar deve fazer uma nova solicitação à concessionária de energia, para que encaminhe uma equipe que realizará a vistoria técnica. O prazo para isso é de, em média, 7 dias úteis.

A vistoria resultará em um relatório produzido pela equipe técnica da distribuidora, contendo observações sobre o sistema e, caso seja necessário, ajustes a serem realizados. 

A empresa de instalação deverá, então, adequar o projeto às alterações indicadas. Quando a instalação estiver aprovada, a concessionária precisa fazer a troca por um medidor de energia bidirecional que fará o controle adequado dos créditos energéticos  

Você aprendeu neste artigo que a autorização para instalação de energia é sim necessária, e imprescindível para garantir a segurança e bom funcionamento do sistema fotovoltaico.

Por isso, escolha uma empresa de qualidade para desenvolver seu projeto de energia solar, assim você pode ficar tranquilo que todas as etapas serão cumpridas adequadamente

E se você estiver em busca de linhas de crédito para fazer esse investimento, conte com a Solfácil! Entre em contato hoje mesmo com a nossa equipe e conheça as melhores opções para o seu financiamento de energia solar.

Como a Solfácil pode lhe auxiliaR

Desde 2018 a Solfácil já levou energia solar para mais de 26 mil projetos solares instalados em residências, empresas e áreas rurais. Ao integrar a solução de financiamento com parceiros estratégicos e know-how para projetos e homologações, criamos um ambiente favorável para implementação da energia solar, seja por parte do consumidor ou por parte do integrador. Quer saber mais? Defina seu interesse:

Posts Similares

Estórias Solares