Energia Solar. A capacidade energética instalada no Brasil atualmente é por volta de 132 gigawatts (GW) produzidos, levando em conta todos os tipos de usinas em funcionamento que produzem energia elétrica no país. Desse total, menos de 0,0008% é produzida a partir de sistemas solares fotovoltaicos, que transformam a luz do Sol em energia elétrica. 

Esses números são notáveis e colocam o Brasil em destaque no que se refere ao potencial solar em comparação a outros países ao redor do mundo. 

Acontece que o Brasil é um dos poucos países no mundo que ainda recebe insolação superior a 3000 horas por ano, o que indica o número de horas de brilho do Sol. Na região Nordeste o potencial é ainda maior, já que conta com uma incidência média diária entre 4,5 e 6 kWh.

Entenda o porque a energia solar é tão pouco explorada no Brasil
Entenda o porque a energia solar é tão pouco explorada no Brasil

O que explica então que a energia solar ainda seja tão pouco explorada no Brasil? Confira a resposta para essa dúvida no artigo a seguir. 

As razões para que a energia solar não seja tão utilizada no Brasil

Apesar do elevado potencial energético do nosso país em relação à produção de energia solar, essa vantagem não é devidamente utilizada. São vários fatores que determinam esse cenário. Vamos juntos entender um por um? Boa leitura!

Custo de aquisição e poucos incentivos governamentais

O primeiro aspecto diz respeito ao alto custo de aquisição de um sistema solar. Ainda que a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) tenha estabelecido a Norma Resolutiva 482/2012, muitos cidadãos ainda têm dificuldade de enxergar a prática como um investimento viável.

A norma em questão foi um grande marco para o setor energético no país, pois estabelece as condições para o acesso de microgeração e minigeração distribuída aos sistemas de distribuição de energia elétrica e sobre o sistema de compensação de energia elétrica.

Apesar disso, o uso da energia solar no Brasil ainda corresponde a apenas 1,7% de toda a matriz energética brasileira. A verdade é que o governo segue investindo majoritariamente em usinas hidrelétricas, visto que o Brasil é também muito rico em recursos hídricos.

Lugares como Israel, por exemplo, têm aproximadamente 90% de suas residências equipadas com painéis solares. Já a Alemanha possui 15% de suas residências adeptas a este tipo de fonte de energia, uma porcentagem alta levando em conta que se trata de um país mais frio e com menos incidência solar. 

Juntamente da questão que envolve poucos incentivos governamentais, há a necessidade de um grande investimento com retorno a médio prazo, fazendo da energia solar uma alternativa pouco acessível financeiramente à maioria dos brasileiros em um primeiro momento.

Os sistemas de energia solar fotovoltaica custam a partir de R$ 9 mil reais, o que pode variar em função do tamanho do local a ser abastecido e, consequentemente, do número de placas a serem instaladas.

Grandes projetos, como os que são necessários em empresas, por exemplo, podem chegar a custar até R$ 400 mil. Olhando, por outro lado, o custo de um sistema como esses para a sua casa equivale a quatro ou cinco anos do valor da sua conta de luz, que é o prazo de retorno do investimento.

O que poderia reverter esse cenário seriam as políticas públicas de incentivos para que os brasileiros tenham possibilidades de investir em energia solar.

Possíveis soluções e incentivos para dar condições do uso da energia solar
Possíveis soluções e incentivos para dar condições do uso da energia solar

Linhas de créditos com baixos juros, redução de impostos e a possibilidade de utilizar o FGTS para a compra dos equipamentos seriam algumas das formas possíveis para encorajar um número maior de pessoas a instalar sistemas solares fotovoltaicos em suas empresas e residências.

Falta de informação

Também é necessário que se fale mais sobre o assunto, com a ajuda de propagandas institucionais falando sobre os benefícios e as vantagens da tecnologia solar. A ausência de campanhas informativas e de conscientização sobre o assunto é um dos aspectos que favorecem a pouca utilização de energia solar no Brasil.

Nosso país tem um enorme potencial de crescimento neste setor. Estima-se que mais de 800 mil residências estejam utilizando sistemas solares fotovoltaicos até 2024, mas para que isso aconteça é preciso que barreiras como essa sejam superadas.  

Muita gente sabe que a energia solar é uma fonte de energia renovável e limpa, mas poucos têm consciência de que é possível economizar até 95% na sua conta de luz, que o valor investido pode retornar em alguns anos de uso, que a instalação é simples e que as centrais demandam manutenção mínima.

Esse tipo de iniciativa faria toda a diferença para que mais pessoas interessadas sobre o assunto possam se tornar adeptas desta tecnologia que traz grande economia ao bolso, e imensuráveis benefícios ao meio ambiente.

Interferência das concessionárias de energia

A economia na conta de luz faz com que as concessionárias de energia elétrica estejam pouco interessadas no aumento de consumidores adeptos à energia solar. Quanto mais pessoas fazendo uso dessa forma de geração de energia, menos lucros as concessionárias irão ter.

Essas empresas estão presentes durante todo o processo de homologação dos projetos até a última etapa de instalação, e acabam levando cerca de 4 meses para efetuar o processo de conexão à rede elétrica, quando na verdade essa etapa deveria levar até 7 dias apenas.

Dessa forma, a presença das concessionárias no âmbito político e econômico acaba afetando diretamente o crescimento do cenário da energia solar, uma vez que ele certamente comprometeria boa parte do seu lucro. 

Interferência de concessionárias podem ser o motivo para a baixa adesão a energia solar no Brasil
Interferência de concessionárias podem ser o motivo para a baixa adesão a energia solar no Brasil

Desde 2016, o cenário se tornou mais otimista. Estima-se que o número de microgeradores de energia solar tenha crescido 407% em comparação ao ano anterior. Confira a seguir algumas dicas importantes para ajudar quanto ao alto custo das placas solares. 

Quais as soluções para o alto custo da energia solar?

O financiamento é um dos principais determinantes para favorecer a compra de sistemas de energia fotovoltaica. Muitos brasileiros que desejam instalar um sistema como esses em sua empresa ou residência podem encontrar a solução ideal em bancos, como o Banco do Brasil, Bradesco e BNDES, que possibilitam o financiamento para a instalação de equipamentos. 

Para isso, é preciso levar até o órgão financiador algumas informações essenciais, como um orçamento com equipamentos e mão de obra descritos, além do seu comprovante de renda.

As taxas e períodos de carência podem variar de acordo com cada instituição, mas é fato que essa é uma alternativa cada vez mais procurada por brasileiros conscientes, preocupados com o meio ambiente e interessados em liquidar seus gastos com energia elétrica. 

Para mais informações a respeito dessa tecnologia com cara de futuro, mas já é uma realidade do presente, entre em contato conosco. Vamos tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto.

Como a Solfácil pode lhe auxiliar

Desde 2018 a Solfácil já levou energia solar para mais de 26 mil projetos solares instalados em residências, empresas e áreas rurais. Ao integrar a solução de financiamento com parceiros estratégicos e know-how para projetos e homologações, criamos um ambiente favorável para implementação da energia solar, seja por parte do consumidor ou por parte do integrador. Quer saber mais? Defina seu interesse:

Posts Similares

Estórias Solares