A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) aprovou no último dia (21) de junho, o reajuste de até 63,7% no valor das bandeiras tarifárias para o período de 2022 a 2023. O aumento foi impulsionado pela inflação que o Brasil atravessa no momento.

O maior reajuste será na bandeira vermelha patamar 1 com alta de 63,7%, enquanto a vermelha patamar 2 terá um acréscimo de 3,2%. A bandeira amarela subirá 59,5%. Já a verde não haverá cobrança extra.

Atualmente, está em vigor a bandeira verde sem qualquer taxa extra aplicada à conta de luz desde 16 de abril deste ano. De acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), a bandeira verde será mantida até dezembro, por causa da melhora dos níveis dos reservatórios das usinas hidrelétricas que aconteceu no início do ano.

Preencha os dados abaixo que respondemos na próxima live e lhe avisaremos por email.

Máquina de cartão representando o reajuste

A Aneel também aprovou o reajuste tarifário anual de cinco distribuidoras. A  Energisa Nova Friburgo que atua no estado do Rio de Janeiro terá um aumento de 19,19%. A Cemig, que atende Minas Gerais, o reajuste será de 8,8%. A Copel, do Paraná, aumentará 4,9% e a RGE que está no Rio Grande do Sul de 10,98%.

Como a Solfácil pode lhe auxiliar

Desde 2018 a Solfácil já levou energia solar para mais de 26 mil projetos solares instalados em residências, empresas e áreas rurais. Ao integrar a solução de financiamento com parceiros estratégicos e know-how para projetos e homologações, criamos um ambiente favorável para implementação da energia solar, seja por parte do consumidor ou por parte do integrador. Quer saber mais? Defina seu interesse:

Confira aqui o story do post!

Posts Similares

Estórias Solares