Quem tem interesse em energia solar precisa entender como funciona a taxa mínima de luz, que impede que as contas de luz sejam zeradas após a instalação de um sistema solar fotovoltaico. Afinal, se a energia solar consumida será gerada pelos painéis solares, por que é necessário continuar pagando as faturas? 

Essa é uma dúvida muito comum entre os consumidores que desejam investir em energia solar. Também chamada de custo de disponibilidade, essa taxa mínima envolve todos os sistemas conectados à rede pública de energia. Lendo o artigo a seguir, você vai entender como ela funciona. 

Como funciona o custo de disponibilidade? 

A taxa mínima de energia elétrica é um valor cobrado pela distribuidora de energia nas contas de luz para disponibilizar o serviço de eletricidade aos imóveis. Toda edificação que possui conexão com a rede pública de energia precisa pagar pela disponibilidade da eletricidade. 

Entenda o custo de disponibilidade de energia elétrica
Entenda o custo de disponibilidade de energia elétrica.

Essa taxa independe do consumo, pois serve para cobrir o custo da infraestrutura necessária que garante o abastecimento de energia no local. Isso significa que, mesmo que o consumo mensal de energia pela rede pública seja nulo, o pagamento da taxa ainda é obrigatório. 


Confira a Live de MKT Digital para o Integrador


Portanto, o custo de disponibilidade envolve o pagamento do serviço de disponibilização de energia elétrica em casas, empresas, indústrias, etc., mesmo que a eletricidade da rede não esteja sendo utilizada no local. Esse pode ser o caso, por exemplo, de imóveis desocupados com ligação ativa de energia, ou locais com instalação de um sistema solar fotovoltaico. 

As especificações para a cobrança do custo de disponibilidade constam na Resolução Normativa nº 414, estipulada em 2010 pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Observe a seguir que a RN estabelece valores distintos para cada padrão de conexão: 

  • Padrão monofásico: a taxa mínima corresponde a 30 kWh (quilowatts-hora);
  • Padrão bifásico: o custo de disponibilidade equivale a 50 kWh;
  • Padrão trifásico: a taxa mínima é igual a 100 kWh.

Para descobrir qual é o padrão de conexão do seu imóvel, basta verificar a conta de luz. Esse padrão é definido pela própria concessionária de energia, no momento em que o consumidor solicita a conexão. O procedimento envolve uma avaliação realizada por um técnico da empresa, que irá verificar os equipamentos elétricos usados no imóvel e então identificar o perfil consumidor. 

Confira neste post como funciona o custo de disponibilidade de energia
Confira neste post como funciona o custo de disponibilidade de energia.

Quer saber como é realizado o cálculo do custo de disponibilidade? Prossiga com a leitura. 

Qual o cálculo da taxa mínima?

Para falar sobre o cálculo realizado na cobrança do custo de disponibilidade, vamos considerar um exemplo hipotético: uma residência que se encaixa no padrão bifásico, atendida por uma distribuidora cuja tarifa de energia é de R$ 0,90 kWh. Segundo o que vimos acima, o custo de disponibilidade equivale a 50 kWh para o padrão bifásico, então o cálculo seria o seguinte: 

50 kWh (custo do padrão bifásico) x R$ 0,90 (valor da tarifa de energia) = R$ 45,00.

Esse raciocínio é aplicado mesmo que o consumidor não tenha utilizado a energia da rede em sua residência durante algum período de tempo. A disponibilidade da energia por si só já leva à cobrança desse valor, uma vez que a taxa mínima existe justamente para que o imóvel tenha eletricidade à sua disposição. 

Aprenda a fazer o calculo do consumo mínimo de energia da sua casa
Aprenda a fazer o cálculo do consumo mínimo de energia da sua casa.

Portanto, tanto os clientes que investem na produção de energia sustentável quanto aqueles que deixam o imóvel fechado durante todo o mês precisarão pagar esse valor.

O custo de disponibilidade só é liquidado quando o consumidor solicita o desligamento do serviço no imóvel à distribuidora de energia. Isso geralmente acontece nos casos em que a edificação permanecerá fechada e sem uso por um período de tempo. Após essa solicitação, a taxa mínima só voltará a ser cobrada quando a ligação da rede for solicitada e restabelecida. 

O que se conclui disso tudo é que não é possível ter um imóvel conectado à rede pública de energia sem pagar pelo custo de disponibilidade. Apesar disso, há formas de economizar pagando apenas o que é cobrado pela taxa mínima. Veja mais a seguir. 

Pague apenas pelo custo de disponibilidade 

Os benefícios que a energia solar oferece estão se tornando conhecidos, atraindo cada vez mais consumidores. Uma das principais e mais atrativas vantagens diz respeito à diminuição do valor das contas de luz, já que é possível economizar até 95% ao investir na instalação de um sistema para geração de energia solar fotovoltaica.

Saiba como pagar apenas o custo de disponibilidade da sua energia
Saiba como pagar apenas o custo de disponibilidade da sua energia.

Você talvez esteja se perguntando porque a economia não chega a 100%, e isso se deve justamente ao pagamento obrigatório do custo de disponibilidade. Isso explica porque não é possível zerar totalmente a conta de luz, mesmo gerando a própria eletricidade por meio da energia solar. 

Ainda assim, aderir a essa tecnologia garante uma economia muito interessante para diferentes perfis de consumidor. Seja para sua residência, empresa ou indústria, na região urbana ou na zona rural, a energia solar se adequa a diversos cenários e demandas. 

 Há muitas outras vantagens que o investimento em um sistema solar fotovoltaico pode garantir. A energia solar tem se firmado no mercado energético como a alternativa perfeita para garantir economia, sustentabilidade, eficiência energética e autonomia para o consumidor.

A instalação e manutenção dos sistemas é simples, e seu equipamento é extremamente silencioso. A tecnologia utilizada para geração de energia solar ajuda a valorizar o imóvel, o que é uma vantagem a mais para quem considera a possibilidade de vendê-lo no futuro.  

Os equipamentos que compõem um sistema fotovoltaico possuem uma vida útil de pelo menos 25 anos, e o retorno do investimento acontece em torno de 7 anos. Isso significa que, por cerca de duas décadas, você precisará arcar apenas com o custo de disponibilidade, com geração de energia praticamente de graça. 

Saiba como pagar apenas o custo de disponibilidade de energia elétrica
Saiba como pagar apenas o custo de disponibilidade de energia elétrica.

Essa é uma vantagem e tanto, principalmente levando em consideração a instabilidade do abastecimento de energia no Brasil, com a oscilação do valor da tarifa de energia. Quem coloca na ponta do lápis comprova: investir em energia solar vale muito mais a pena do que continuar comprando energia da concessionária, ainda que seja necessário investir um alto valor inicial para a implementação do sistema fotovoltaico.  

Para quem deseja produzir sua própria energia, uma boa solução é optar pelo financiamento do projeto fotovoltaico, que viabiliza a compra dos equipamentos e sua instalação. Ficou interessado? Entre em contato conosco para saber sobre as linhas de financiamento que disponibilizamos. 

Energia Solar em sua Casa com Solfácil

Nós temos uma linha de financiamento revolucionária que permite que você troque o custo da sua conta de luz por um ótimo investimento em sistema de energia solar.

É isso mesmo! Temos uma rede de parceiros instaladores em todos os estados do Brasil que executam o projeto de energia solar em sua residência e você paga em até 144 parcelas com juros acessíveis. Tão acessíveis que a prestação mensal fica até 30% inferior à economia de energia que você tem com o sistema.

Posts Similares

Estórias Solares