Essa é uma dúvida muito comum entre os consumidores que têm interesse na geração de energia solar. Muitas pessoas que vivem em imóveis alugados nem mesmo consideram essa opção, simplesmente por não saber se há a possibilidade do sistema fotovoltaico ser transportado de um local para outro. 

Vamos entender melhor como isso funciona? Confira tudo sobre esse assunto no artigo a seguir. 

É possível instalar energia solar em imóvel alugado? 

No que diz respeito à parte técnica, não há nada que impeça a geração de energia solar em imóveis alugados. A instalação pode ser feita pelo proprietário, cobrando um pouco a mais no aluguel já que a presença dessa tecnologia ajuda a valorizar o imóvel.

As placas fotovoltaicas podem ser instaladas em imóveis alugados
As placas fotovoltaicas podem ser instaladas em imóveis alugados

O investimento também pode partir do inquilino, que, com a autorização do proprietário, decide instalar seu sistema temporariamente no local onde está residindo. 

A instalação do sistema é simples e rápida, assim como a sua desinstalação. Sendo assim, caso a iniciativa parta do inquilino, o sistema poderá ser retirado na hora da mudança e reinstalado em outro local posteriormente.

Todo o processo envolvendo o desenvolvimento do projeto e a instalação dos painéis solares envolve custos, que podem ser acordados para que o cliente estipule quanto tempo precisa manter o sistema para que o investimento valha a pena.

Como há retorno financeiro em cerca de 3 anos, esse pode ser o tempo a ser usado como base para planejar a mudança, caso seja necessária. 

O prazo para a instalação completa de um sistema fotovoltaico pode levar em torno de 1 a 4 dias, o que pode variar de acordo com a acessibilidade e as condições do telhado e as dimensões do sistema.  

Portanto, não há problemas em implementar o sistema fotovoltaico em imóveis alugados, e essa pode ser uma opção que vale a pena. Optando pela contratação de uma empresa especializada para cuidar das etapas de instalação e remoção do sistema, não há riscos de danos na estrutura da casa. 

Para ficar ainda mais por dentro do assunto, confira a seguir quais são os tipos de instalação possíveis. 

Lembre-se, alugando energia solar, não a torna propriedade, e você continua refém de uma eventual variação no custo da energia

Quais os tipos de sistemas fotovoltaicos?

Há dois tipos principais de instalação de sistema solar fotovoltaico: isolado (ou off grid) e conectado à rede (também chamado de on grid, ou grid-tie). Antes de investir nessa tecnologia, é importante tirar um tempinho para avaliar os dois tipos e escolher a opção que melhor irá contemplar o seu consumo. 

No sistema off grid, o consumidor tem maior autonomia, já que a eletricidade produzida que não é consumida na hora fica armazenada em baterias, para ser utilizada posteriormente. 

No caso do sistema on grid, a eletricidade excedente é injetada na rede de energia da concessionária, e a unidade geradora de energia recebe créditos que serão compensados nas contas mensais de luz. 

O local deve ser escolhido devido a maior incidência solar para que gere mais energia.
O local deve ser escolhido devido a maior incidência solar para que gere mais energia.

Para que a segunda opção seja escolhida, é necessário que o imóvel em questão seja abastecido por uma distribuidora de energia, que deve ser avisada com antecedência para fazer sua homologação.

Assim, o medidor bidirecional viabiliza a geração e transferência de créditos com a empresa que fornece a energia. Clique aqui para saber mais sobre as diferenças entre os dois tipos de instalação. 

Ao ser conectado à rede de distribuição de energia, o sistema ficará vinculado ao titular da conta de energia da residência. Caso a conta esteja registrada no nome do proprietário do imóvel, o sistema também deverá estar.

Antes de fazer a instalação em imóveis alugados, também é necessário comunicar o proprietário do local, já que se trata de um projeto relevante que será implementado em sua propriedade. 

Qual o espaço necessário para a instalação da energia solar?

Qualquer projeto de sistema fotovoltaico precisa levar em consideração o local onde o mesmo será implementado e suas especificidades. O local mais adequado para acomodação dos painéis solares é o telhado, potencializando a captação dos raios solares.

O equipamento fica preso com o auxílio de um sistema de fixação, e mesmo coberturas planas (como lajes e telhas pré-fabricadas, por exemplo) possibilitam adequação para receber os painéis. 

É importante que o local não tenha muita incidência de sombras, pois os módulos solares precisam ficar expostos ao sol o máximo de tempo possível para captar a radiação. Em regiões sombreadas, as placas não são tão eficientes.

Além disso, é preciso considerar aspectos como a orientação do telhado e a inclinação dos painéis, para garantir a maior eficiência possível, mesmo nos dias de inverno. 

Cada placa solar possui uma área padrão aproximada de dois metros quadrados. A geração de energia é possível a partir de áreas com cerca de 12 metros quadrados, por isso deve ser considerado se o telhado do imóvel em questão tem esse espaço disponível de modo a receber radiação solar o suficiente para geração de energia.  

O tamanho total da área vai depender de alguns critérios específicos, como o consumo de energia mensal do imóvel em questão, e o número de pessoas que residem no local.

Em residências nas quais o consumo é considerado elevado, geralmente a área para instalar as placas é de aproximadamente 50 metros quadrados. 

E quanto aos custos de instalação e manutenção da energia solar?

De modo geral, a instalação de um sistema solar fotovoltaico em residências pode custar entre R$ 15 mil e R$ 50 mil. Como o sistema é modular, pode e deve ser dimensionado de acordo com as necessidades de cada usuário.

Cada sistema é único
Cada sistema é único

Quanto maior o consumo mensal, mais caro tende a ser o sistema, mas o retorno financeiro também será maior e mais rápido. 

Outros fatores que podem influenciar no custo final envolvem a orientação e a radiação do lugar de instalação, que determinam a quantidade necessária de placas. As despesas podem envolver ainda equipamentos especiais, mão de obra e frete.

Quanto à manutenção anual, os gastos são mínimos, girando em torno de 0,5% do investimento inicial no sistema solar fotovoltaico. Uma limpeza semestral ou até mesmo anual é o suficiente, usando água e um pano macio para retirar a poeira e os resíduos acumulados com o tempo. 

A tecnologia para geração de energia solar é flexível, não representando um obstáculo para a instalação em imóveis alugados. Sendo assim, não gera preocupações com relação à instalação ou desinstalação, ou danos na estrutura da edificação. O importante é que o procedimento seja acordado entre o proprietário e o inquilino.

Se você se interessou pelo post e pelas informações aqui mencionadas, não deixe de compartilhá-lo nas redes sociais para que outras pessoas também se informem sobre o tema e sobre as infinitas possibilidades da energia solar.

Como a Solfácil pode lhe auxiliar

Desde 2018 a Solfácil já levou energia solar para mais de 26 mil projetos solares instalados em residências, empresas e áreas rurais. Ao integrar a solução de financiamento com parceiros estratégicos e know-how para projetos e homologações, criamos um ambiente favorável para implementação da energia solar, seja por parte do consumidor ou por parte do integrador. Quer saber mais? Defina seu interesse:

Story referente ao post

Posts Similares

Estórias Solares