As vantagens da energia solar têm alcançado cada vez mais pessoas e se tornado um assunto muito presente na mídia. Seu principal atrativo é a economia na conta de luz, que pode alcançar reduções entre 70% e 95%. 

Com a energia solar sendo cada vez mais procurada, muitas dúvidas sobre o assunto acabam surgindo, principalmente acerca das etapas necessárias para instalação de um sistema fotovoltaico. A homologação é uma delas. Você sabe qual a sua importância? Confira no artigo a seguir porque você deve homologar sua energia solar.  

O que é a homologação e por que devo fazê-la?

A instalação de um sistema solar fotovoltaico pode não ser dos procedimentos mais complexos, mas ainda assim precisa cumprir alguns requisitos para assegurar a  segurança do consumidor e a efetividade do projeto.

A instalação do processo de energia solar deve ser feita por um especialista.
A instalação deve ser feita por um especialista.

A homologação é uma dessas exigências, com o objetivo de regularizar a operação do sistema, garantindo que funcione como deveria e atenda às expectativas e necessidades do consumidor. 

A homologação é também uma forma de fiscalização por parte da concessionária de energia, que acompanha a instalação do projeto para averiguar se estão sendo cumpridas todas as especificações estabelecidas pelas normas de segurança da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). 

Se a homologação do seu sistema será necessária ou não, isso vai depender do tipo de sistema fotovoltaico escolhido para ser instalado em seu imóvel.

Há duas modalidades: os sistemas do tipo on grid (conectados à rede pública, com geração de créditos pela energia excedente produzida) e os sistemas off grid (sem conexão com a rede pública, dependendo apenas de um banco de baterias estacionárias para armazenar a energia excedente).

Esse procedimento deve ser realizado por todo consumidor que optar por ter em sua residência ou empresa um sistema solar fotovoltaico on grid.

Caso o seu sistema seja off grid, não é necessário realizar a homologação, uma vez que seu funcionamento não dependerá em nenhum momento da rede pública de distribuição de energia. Em tempo, se você optar por um sistema híbrido, também será necessário fazer a homologação. 

Sistemas fotovoltaicos on grid e híbridos precisam obrigatoriamente passar pela homologação, pois tem vinculação com a rede de distribuição. A energia produzida “de sobra” pelos módulos fotovoltaicos é injetada diretamente na rede pública, o que justifica a necessidade da homologação. 

São os mais utilizados, enquanto que os sistemas off grid são mais indicados para instalações em localidades mais distantes, onde a distribuição de energia pela concessionária nem sempre é acessível. 

Há diversos problemas que podem ocorrer em consequência da falta de homologação de um sistema on grid. Esse tipo de projeto corre sérios riscos de ser flagrado pelos técnicos da concessionária, e assim receber multa pela infração de roubo de energia.

Além disso, por não haver a troca pelo medidor bidirecional que é instalado durante a homologação, o sistema pode não funcionar de maneira adequada, interferindo na geração de créditos e até mesmo levando ao aumento da conta de luz. 

Caso a instalação seja feita errada, você pode ter prejuízos.
Caso a instalação seja feita errada, você pode ter prejuízos.

É preciso que o sistema esteja conectado à rede da maneira correta, para que toda a energia excedente produzida pelos módulos fotovoltaicos seja revertida em créditos energéticos.

Os créditos servem para que o consumidor não fique sem energia quando o sistema fotovoltaico não opera com seu pleno potencial, como durante a noite ou em dias nublados/chuvosos. Eles podem ser utilizados em até 60 meses, o equivalente a 5 anos. 

Instalar um projeto solar sem realizar a sua regularização é considerado um ato ilegal, pois envolve a rede pública de distribuição de energia. Essa infração pode colocar em risco a segurança de todos os envolvidos: desde os técnicos responsáveis pela instalação do sistema, até mesmo às pessoas que irão usufruir da energia gerada no dia a dia.

Esse é um procedimento padrão, cujo objetivo é averiguar se a instalação atende a todas as especificações estabelecidas pelas normas de segurança. É feita junto da concessionária de energia elétrica da sua região, e é a única forma de garantir que o sistema fotovoltaico a ser instalado em seu imóvel esteja devidamente conectado à rede de distribuição da cidade. 

Ao optar pela instalação de um projeto fotovoltaico on grid ou híbrido, o consumidor deve sempre considerar a etapa da homologação. Para isso, contará durante todo o processo com o acompanhamento e orientação da empresa contratada para realizar a instalação. Fique por dentro e confira no próximo item quais são as etapas que compõem esse procedimento. 

Quais as etapas da homologação da energia solar?

O processo da homologação é mais simples do que parece, e o consumidor pode contar com a orientação da concessionária da energia e da empresa encarregada pela instalação do sistema durante todo o procedimento. 

O primeiro passo é solicitar acesso à rede de distribuição de energia através da distribuidora local. Isso deve ser feito antes mesmo do projeto ser instalado. A partir desse momento, a concessionária dará início à análise do projeto, e a autorização para instalação do sistema deve ser liberada em até 15 dias. 

Com o projeto aprovado pela concessionária, é hora de instalar o sistema de energia solar fotovoltaica. Isso pode levar de 1 a 2 dias, em média, de acordo com a disponibilidade da empresa contratada. 

Instalação de placas solares para captação de energia solar
Instalação de placas solares

Feita a instalação, é necessário solicitar que a concessionária encaminhe uma equipe para realizar a vistoria técnica. O prazo para que isso seja feito é de geralmente 7 dias úteis. Cabe à empresa responsável pela instalação do sistema fazer a solicitação da vistoria. 

Um relatório deverá ser produzido pela equipe técnica da distribuidora de energia a partir dessa inspeção, contendo observações sobre o sistema. Caso conste alguma solicitação de ajuste no relatório, a empresa de instalação deverá adequar o projeto às alterações indicadas

Com a instalação devidamente aprovada, a concessionária realizará a troca por um medidor de energia de modelo bidirecional, concedendo o aval de funcionamento para que o consumidor possa gerar sua energia solar.

Ainda que a homologação e a instalação do sistema fotovoltaico sejam procedimentos simples, é importante confiar seu projeto a uma empresa de credibilidade, garantindo assim que todas as etapas sejam cumpridas adequadamente.

Antes de fazer sua escolha, faça pesquisas de mercado e procure por empresas com experiência e reconhecimento no setor. Afinal de contas, nada como ter do seu lado alguém que sabe exatamente o que está fazendo, não é?! É fundamental que nesse momento você possa tirar todas as suas dúvidas e tenha a tranquilidade de fechar o melhor negócio.

Posts Similares

Estórias Solares