Você deve ter notado que a produção de energia solar tem se tornado um assunto cada vez mais presente na mídia e no dia a dia das pessoas. Era de se esperar que uma solução tão inovadora (que une economia financeira e sustentabilidade ambiental) atraísse tanta atenção. 

Com o aumento da sua notoriedade, muitas dúvidas sobre os processos que envolvem a instalação de um sistema solar fotovoltaico começam a surgir. Como, por exemplo, a questão da homologação: devo ou não homologar o meu sistema fotovoltaico? Confira a resposta para essa e outras dúvidas no artigo a seguir.

Devo homologar meu sistema fotovoltaico de energia solar? 

A implementação de um sistema solar fotovoltaico envolve uma série de etapas que precisam ser cumpridas para garantir que o equipamento funcione como deveria e atenda às expectativas e objetivos do consumidor. 

Preencha os dados abaixo que respondemos na próxima live e lhe avisaremos por email.

Confira se você deve ou não homologar
Confira se você deve ou não homologar

Uma dessas etapas é a homologação do sistema, que tem como propósito regularizar o funcionamento do mesmo. É uma forma da concessionária de energia fiscalizar os equipamentos instalados e verificar se estão sendo cumpridas todas as especificações estabelecidas pelas normas de segurança da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). 

A resposta para a pergunta que dá nome a esse tópico é: depende do tipo de sistema fotovoltaico que você vai escolher. Há duas modalidades possíveis, on grid e off grid. 

Se o seu sistema for do tipo off grid, não é necessário fazer a homologação, pois o funcionamento do seu sistema não depende da rede pública. Essa modalidade se caracteriza por armazenar a energia excedente em um banco de baterias, e por isso não estabelece uma conexão com a rede de distribuição de energia. 

Apesar de ser o tipo de sistema que existe há mais tempo, o off grid é o menos utilizado, pois é indicado principalmente para instalações em localidades mais afastadas, onde normalmente não há abastecimento de energia pela concessionária. 

Já os sistemas fotovoltaicos on grid precisam obrigatoriamente passar pela homologação, pois tem vinculação com a rede de distribuição. São os mais comumente utilizados. A energia excedente produzida pelos módulos fotovoltaicos é injetada diretamente na rede pública, o que justifica a necessidade da homologação. 

Quando não passa pela homologação, o sistema fotovoltaico on grid corre o risco de ser flagrado pelos técnicos da concessionária e receber multa pela infração de roubo de energia. Sendo assim, instalar um projeto solar sem realizar a sua regularização é considerado um ato ilegal, pois envolve a rede pública de distribuição de energia.

Mas os motivos para realizar essa etapa não param por aí. A homologação oferece uma série de vantagens para o consumidor, como veremos com mais detalhes no próximo tópico. 

Por que essa etapa é tão importante?

É através da homologação que a distribuidora de energia realiza a fiscalização do sistema solar instalado em residências, empresas e indústrias. É um procedimento padrão, cujo objetivo principal é averiguar se a instalação atende a todas as especificações estabelecidas pelas normas de segurança. 

Verificação do painel solar
Verificação do painel solar

Essa etapa é feita junto da concessionária de energia elétrica da sua região. Um dos principais motivos para realizá-la é por ela garantir que o sistema fotovoltaico a ser instalado em seu imóvel esteja devidamente conectado à rede de distribuição da cidade.]

A partir disso, toda a energia excedente produzida pelos módulos fotovoltaicos poderá ser revertida em créditos energéticos. 

Esses créditos servem para que você não fique sem energia nos momentos que o sistema fotovoltaico não opera, ou trabalha com desempenho inferior, como durante a noite ou em dias nublados/chuvosos. Eles podem ser utilizados em até 60 meses, o equivalente a 5 anos. 

Além disso, a homologação do sistema fotovoltaico é uma forma de garantir a segurança de todos que estarão de alguma forma expostos a ele, desde os técnicos responsáveis pela instalação até os próprios consumidores que vão usufruir da energia gerada. 

Através dessa etapa, é possível se certificar de que todas as normas de instalação elétricas serão devidamente empregadas. Os regulamentos que regem a homologação têm o objetivo de assegurar que o sistema funcione de maneira segura, adequada e eficaz.

Optar por um projeto fotovoltaico on grid deve sempre considerar a etapa de homologação. Vale lembrar que, uma vez instalado, o sistema poderá abastecer o seu imóvel por décadas, já que a sua vida útil é em torno de 25 a 30 anos.

Sendo assim, vale a pena se dedicar à sua regularização, para que todos os benefícios que envolvem a energia solar sejam garantidos sem colocar nada nem ninguém em risco. 

Quer saber mais sobre a homologação? Então confira no próximo item quais são as etapas que compõem esse procedimento. 

Quais as etapas da homologação da energia solar?

Apesar de ser composta por várias etapas, o processo da homologação é mais simples do que parece. 

Para dar início, é preciso solicitar acesso à rede de distribuição de energia através da distribuidora local, antes mesmo do projeto ser instalado. Feito esse pedido, a concessionária dará início à análise do projeto para autorizar em até 15 dias a instalação do sistema. 

Descubra quais as etapas da homologação
Descubra quais as etapas da homologação

Uma vez que o projeto esteja devidamente aprovado pela concessionária, dá-se início finalmente ao processo de instalação do sistema de energia solar fotovoltaica. O prazo para que essa etapa seja concluída vai depender da disponibilidade da empresa contratada para sua implementação, o que pode ser combinado previamente.  

Com a instalação feita, é hora de solicitar a vistoria técnica, que será realizada por uma equipe da concessionária em até 7 dias úteis. Quem faz a solicitação da vistoria é normalmente a empresa responsável pela instalação.

A partir dessa inspeção, é feito um relatório com observações sobre o sistema, que pode incluir solicitação de ajustes, caso isso seja necessário. Sendo este o caso, o sistema fotovoltaico deverá adequar as alterações indicadas. 

Quando toda a instalação estiver aprovada pela concessionária, a mesma fará a troca do medidor do imóvel por um modelo bidirecional, concedendo o aval de funcionamento para que você gere sua energia solar.

Esse tipo de medidor também permite a injeção da energia excedente à rede, possibilitando a geração dos créditos que serão descontados da conta de luz. 

Como é de se imaginar, contar com uma empresa qualificada para fazer a instalação do seu projeto é fundamental para que tudo ocorra de maneira tranquila e com o mínimo de imprevistos possível. Opte por uma companhia com experiência e reconhecimento no setor, e assim não terá com o que se preocupar durante todo o processo. 

Como a Solfácil pode lhe auxiliar

Desde 2018 a Solfácil já levou energia solar para mais de 26 mil projetos solares instalados em residências, empresas e áreas rurais. Ao integrar a solução de financiamento com parceiros estratégicos e know-how para projetos e homologações, criamos um ambiente favorável para implementação da energia solar, seja por parte do consumidor ou por parte do integrador. Quer saber mais? Defina seu interesse:

Posts Similares

Estórias Solares