O investimento em energia solar envolve a implementação de um sistema fotovoltaico em seu imóvel. Esse equipamento é composto por painéis solares, que são os responsáveis por converter a luz do sol em energia elétrica. 

O tamanho do sistema e a quantidade de painéis necessários para suprir a demanda de energia de uma residência depende de uma série de fatores, como, por exemplo, o consumo do imóvel e a incidência dos raios solares na região onde a tecnologia será instalada. Tudo isso é levado em conta no dimensionamento da energia solar, uma etapa fundamental para desenvolver um projeto fotovoltaico de qualidade. 

Confira no artigo a seguir como esse processo funciona e porque ele é determinante para estabelecer o número de painéis solares em um projeto. Boa leitura! 

Como é feito o dimensionamento de energia solar? 

O dimensionamento é o estudo e análise das especificidades do local onde o sistema fotovoltaico será instalado, e inclui também a definição dos equipamentos a serem utilizados para a geração de energia. Em outras palavras, é basicamente o planejamento da instalação do sistema. 

É através desse procedimento que é feito o cálculo da quantidade de painéis solares para compor um projeto fotovoltaico, portanto se trata de uma etapa indispensável para obter um sistema com funcionamento eficaz. É realizado por empresas especializadas na venda e instalação dos equipamentos de energia solar. 

Como é feito o dimensionamento de energia solar? 
Como é feito o dimensionamento de energia solar? 

Para definir o tamanho do sistema fotovoltaico necessário para suprir a demanda energética da sua residência, é preciso ter em mente o orçamento disponível para realizar o investimento, e quanto você deseja economizar nas contas de luz. 

As principais variáveis que interferem no dimensionamento são a média de radiação solar local, a potência do painel solar e o consumo elétrico do imóvel. Confira os detalhes sobre cada uma delas a seguir. 

Média de radiação solar local

Os painéis solares são compostos por módulos fotovoltaicos, que produzem energia elétrica a partir da incidência da luz do sol.

Sendo assim, quanto maior o índice de radiação solar no local onde será feita a instalação do sistema fotovoltaico, menos painéis solares serão necessários para suprir a energia consumida pela residência.  

Potência do painel solar

A potência de um painel solar pode variar de acordo com seu modelo, composição e a tecnologia utilizada por cada fabricante.

Ela determina a quantidade máxima de energia que um painel é capaz de gerar em condições climáticas favoráveis (como em um dia de sol forte, por exemplo). As instalações residenciais para gerar energia solar costumam utilizar placas solares com potência a partir de 340 Watts-pico (Wp). 

Consumo elétrico do imóvel

A quantidade de painéis solares que vão compor um sistema fotovoltaico é determinada pela demanda elétrica do imóvel em questão. Consulte as contas de luz do último ano e calcule uma média anual do consumo (basta somar os consumos dos últimos doze meses, e dividir pela quantidade de meses). Em seguida, é só dividir o valor obtido pela produção mensal da placa. 

Faça um estudo do consumo elétrico residencial
Faça um estudo do consumo elétrico residencial

Sendo assim, uma residência que apresenta um consumo mensal de, em média, 300 kWh, por exemplo, precisará de aproximadamente 7 painéis solares para obter uma economia de até 95% na conta de luz. Quanto maior o consumo, maior a quantidade de painéis para atender a demanda de energia. 

Muitos consumidores optam pela instalação de um número menor de painéis, de modo a garantir apenas uma parte do consumo da residência. A economia, nesse caso, será menor, assim como o investimento necessário para implementar o sistema fotovoltaico

Outros fatores a serem considerados

Como mencionado acima, há uma série de aspectos a serem considerados ao realizar o dimensionamento de energia solar, incluindo também a direção e inclinação do painel. 

No Brasil, recomenda-se que os painéis solares sejam instalados em direção ao norte geográfico, de modo a obter a melhor incidência solar. A inclinação deve ser a mesma da localidade onde o sistema será implementado. Tudo isso vai interferir na média de radiação solar local, por isso é importante ser considerado. 

O local da instalação dos painéis deverão ser levados em consideração
O local da instalação dos painéis deverão ser levados em consideração

Também é preciso considerar que a incidência solar pode variar de acordo com cada região do Brasil. Sendo assim, a localidade onde o equipamento será instalado é determinante no cálculo da quantidade de painéis solares, pois a disponibilidade diária de luz do sol pode variar bastante ao longo de todo o território brasileiro e de acordo com a época do ano e a regularidade das chuvas.

Moradores da região Norte do país, por exemplo, precisam de um sistema fotovoltaico composto em média por sete painéis solares para abastecer uma residência com consumo mensal de 300 kWh. Esse equipamento deve ocupar cerca de 19 metros quadrados.

Mesmo em uma mesma região, é possível encontrar uma grande variação. Os estados de Roraima, Pará e Amapá são os que recebem maior radiação solar, e, portanto, precisam de menos placas fotovoltaicas. Já os estados do Acre, Amazonas e Tocantins são os que necessitam de mais placas solares na região Norte.  

O mesmo cálculo utilizado para o Norte vale para os moradores da região Centro-Oeste que estão interessados em investir em energia solar.

O Nordeste, por sua vez, é muito privilegiado no que diz respeito à disponibilidade de luz solar. Sendo assim, é de se esperar que uma quantidade ligeiramente menor de painéis solares seja o suficiente em comparação ao que é necessário em outras regiões.

Solicitar uma instalação profissional é fundamental para o sucesso do projeto
Solicitar uma instalação profissional é fundamental para o sucesso do projeto

Uma residência com o mesmo consumo mensal mencionado acima pode ser atendida por cerca de seis painéis solares, ocupando em torno de 16 metros quadrados. Alagoas, Bahia e Sergipe são os estados menos privilegiados em relação à média de radiação solar diária. Por isso, é possível que residências nesses estados precisem de um número maior de painéis levando em conta o mesmo consumo.

Já na região Sudeste, é possível encontrar uma grande diversidade de climas entre seus estados, tornando o cálculo menos previsível e mais complexo. O número necessário de placas pode mudar um pouco mais de acordo com a localidade.

Uma estimativa aproximada para o estado de São Paulo aponta os mesmos dados obtidos em relação às regiões Norte e Centro-Oeste: sete painéis solares, em média, para fornecer energia elétrica para uma residência com consumo mensal de 300 kWh.

A região Sul, por fim, é a que enfrenta os invernos mais rigorosos, e por isso pode precisar de uma quantidade maior de painéis solares para dar conta da produção de energia de uma residência com o mesmo padrão de consumo utilizado em nossos cálculos até aqui. A média seria de oito painéis solares, ocupando cerca de 22 metros quadrados. 

Como há uma série de fatores a serem analisados durante a realização do dimensionamento de energia solar, é fundamental contar o trabalho de uma empresa especializada e profissionais qualificados para realizar esse trabalho.

Os números podem variar muito de acordo com cada projeto, e, para se certificar de ter suas necessidades supridas da melhor maneira, nada melhor do que confiar em quem entende do assunto. 

Ficou com alguma dúvida a respeito do dimensionamento? Deixe sua pergunta nos comentários abaixo para que possamos resolvê-la.

Como a Solfácil pode lhe auxiliar

Desde 2018 a Solfácil já levou energia solar para mais de 26 mil projetos solares instalados em residências, empresas e áreas rurais. Ao integrar a solução de financiamento com parceiros estratégicos e know-how para projetos e homologações, criamos um ambiente favorável para implementação da energia solar, seja por parte do consumidor ou por parte do integrador. Quer saber mais? Defina seu interesse:

Posts Similares

Estórias Solares