É muito comum viajar pelo Brasil e se deparar com dúvidas a respeito da tensão elétrica no local de destino. É preciso tomar cuidado com isso, pois acidentes podem acontecer ao conectar um eletrônico em tomada com tensão superior a que é suportada pelo aparelho

Geralmente, os padrões de tensão da maioria dos países dividem-se em 110 V e 220 V. Simplificando, é possível afirmar que o continente norte-americano usa principalmente a 110 V, enquanto que Europa, África e Ásia optam em sua maioria por 220 V. 

E no Brasil, quais são as principais voltagens utilizadas? É o que você vai conferir com mais detalhes no artigo a seguir. Boa leitura! 

Por que há diferentes tensões elétricas no Brasil? 

  A diferença de voltagens em cada cidade brasileira tem uma origem antiga. No início do século XX, quando a rede elétrica começou a ser instalada no país sem que fosse definido um padrão a ser utilizado. Diferentes companhias de instalação elétrica se estabeleceram em cada região, e ficou a cargo delas escolher qual tensão usaria. 

Por que há diferentes tensões elétricas no Brasil?
Por que há diferentes tensões elétricas no Brasil?

A escolha entre 127 volts (antigo 110 V) ou 220 volts ficou por conta das influências do país de origem das primeiras empresas que realizaram o trabalho. Além disso, a decisão se baseava também em uma análise de custos envolvendo alguns fatores, como o valor necessário para instalação e materiais (como cabos e transformadores e quantidade de consumidores por metro quadrado).

Empresas canadenses como Rio de Janeiro, Tramway Light & Power e a São Paulo Light & Power optaram por instalar redes de 110 volts para o consumo residencial nas duas principais cidades da Região Sudeste. Enquanto isso, na Região Nordeste, as primeiras concessionárias optaram pela rede de 220 volts.

 Com o passar das décadas e a ampliação da rede elétrica, tornou-se economicamente inviável fazer uma troca para promover a padronização em todo o território nacional. Sendo assim, a maioria dos sistemas se mantém do mesmo jeito até hoje.

Como ambas as principais opções apresentam vantagens e desvantagens, não se sabe qual das duas tensões será a dominante futuramente.

Quais as tensões elétricas utilizadas aqui? 

Ainda que a instalação das redes tenha se dado de maneira desorganizada no Brasil, o fato de ser 110 ou 220 volts não foi completamente aleatório. O teto da tensão elétrica utilizada nas redes de distribuição públicas seguiu normas de segurança e estudos que mostravam que tensões próximas de 500 V seriam mais seguras para utilização pelo usuário comum, quando adotadas as devidas medidas de segurança. 

A partir disso, chegou-se às tensões de 110 V (atualmente 127 V), 220 V e 380 V para uso residencial, enquanto que para uso industrial seria de 440 V ou acima disso. Cada cidade possui sua tensão para uso residencial, mas as predominantes são 127 V e 220 V.

Aqui, cabe um pequeno parênteses: antes, uma das tensões utilizadas era de exatos 110 V, mas com o tempo isso foi sendo adaptado, e as concessionárias chegaram em um consenso de que 127 V deveria ser o padrão.

Quais as tensões elétricas utilizadas aqui?
Quais as tensões elétricas utilizadas aqui?

Esse valor foi considerado mais adequado pois é basicamente uma média da variação natural ao medir uma corrente alternada. Com isso, a tensão de 110 V não existe mais.  

Com relação a variação entre 127 V e 220 V, a falta de padronização permanece até hoje. Segundo dados fornecidos pela Associação Brasileira dos Distribuidores de Energia Elétrica (ABRADEE), a maioria dos estados do Sudeste, Norte e parte do Centro-Oeste usa a tensão 127 V. Já no Sul, Distrito Federal, Goiás e Nordeste, a voltagem instalada é de 220 V.  Por isso, viagens pelo interior do Brasil exigem o uso de aparelhos bivolts.

Até em um mesmo estado é possível encontrar diferentes tensões, como no caso da Bahia, por exemplo, onde a maioria das cidades tem tensão 220 V, enquanto em Salvador é utilizado 127 V. O mesmo acontece em outros estados e regiões. Na capital paulista, a tensão é 127 V, enquanto no litoral do estado de São Paulo é 220 V.

Se deseja consultar o nível de tensão de alguma cidade em particular além das mencionadas, consulte a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). A entidade é a responsável por elaborar as regras para que toda a rede de fornecimento de energia funcione, e em seu site é possível verificar informações mais específicas. 

Continue a leitura para sanar outras dúvidas comuns a respeito das tensões elétricas encontradas no Brasil. 

Qual tensão elétrica é a mais segura?

A tensão de 127 pode ser considerada a mais segura no caso de acidentes envolvendo pessoas, uma vez que o choque provocado pela voltagem de 220 V é duas vezes mais forte. Quanto maior a tensão recebida pelo corpo humano, maior a corrente elétrica, e consequentemente maiores são os riscos envolvidos. 

Qual tensão elétrica é a mais segura?
Qual tensão elétrica é a mais segura?

Sendo assim, conclui-se que as redes de 127 V oferecem um risco menor para quem tomar um choque. No entanto, um imóvel com essa tensão é mais propenso a sofrer com um incêndio do que uma edificação com 220 V.

Isso porque a tensão menor funciona com uma corrente maior, gerando mais atrito nos fios. Esses, por sua vez, se não forem espessos o suficiente, podem esquentar mais do que deveriam e entrar em combustão. 

Como uma coisa leva à outra, as redes de 220 V são mais econômicas, uma vez que exigem condutores mais finos e por isso gastam menos material. O consumo também é levemente menor nas redes de 220 V.

Isso não faz diferença para o usuário final, pois o consumo é medido em quilowatt/hora, ou seja, pela potência e pelo tempo de funcionamento dos equipamentos elétricos e eletroeletrônicos. Para as fornecedoras, no entanto, pode ser uma questão importante para se levar em conta, já que, além de cabos mais finos, a tensão de 220 V precisa de menos transformadores para funcionar. 

Já para quem deseja reduzir o valor das contas de luz, a saída é usar os aparelhos por menos tempo ou optar pelos modelos menos potentes na hora de realizar a compra 

Se a preocupação é evitar apagões, a melhor tensão é a de 220 V. Na ocorrência de um problema de distribuição, casas abastecidas por esse tipo de sistema solicitam à rede um excesso de corrente elétrica. A tensão de 220 V pode evitar essa sobrecarga, já que, quanto maior a tensão, menor será a corrente usada pelos aparelhos elétricos durante seu funcionamento.

Posso plugar equipamento de uma determinada tensão em outra?

Ao ligar um aparelho de 220 V em uma rede de 110 V, não há riscos de que ele sofra algum dano, mas também não vai funcionar adequadamente. Isso porque ele não recebe tensão o suficiente, com apenas metade da voltagem necessária. 

Posso plugar equipamento de uma determinada tensão em outra?
Posso plugar equipamento de uma determinada tensão em outra?

Mas ao ligar um aparelho que funciona com 127 V em uma rede de 220 V, o dispositivo tem grandes chances de ser danificado, pois vai receber uma tensão superior à que é feito para suportar. 

Como a Solfácil pode lhe auxiliar

Desde 2018 a Solfácil já levou energia solar para mais de 26 mil projetos solares instalados em residências, empresas e áreas rurais. Ao integrar a solução de financiamento com parceiros estratégicos e know-how para projetos e homologações, criamos um ambiente favorável para implementação da energia solar, seja por parte do consumidor ou por parte do integrador. Quer saber mais? Defina seu interesse:

Confira aqui o story do post!

Posts Similares

Estórias Solares