Quanto custa a assinatura de energia solar?

A energia solar é uma solução para economia energética, porém os custos de investimento ainda são altos, girando em torno de R$15k, por isso existem formas de compartilhamento, como as assinaturas.

Como funciona a assinatura de energia solar?

Esse modelo funciona por meio dos créditos obtidos por grandes fazendas solares, ou seja, elas vendem a energia para distribuidoras e repassam parte dos créditos recebidos para os consumidores.

As empresas fornecedoras desse serviço investem, inicialmente, na construção de fazendas solares em locais com alta insolação, e depois, injetam a energia produzida diretamente na rede distribuidora.

Como a energia solar é mais barata do que a hídrica, por exemplo, os planos de assinatura saem mais em conta e uma das vantagens é que o consumidor não se preocupa com o investimento nem a manutenção.

A assinatura acontece a partir do momento em que o usuário aluga uma parte de uma fazenda ou empreendimento solar, assim, ganha os benefícios da geração de energia diretamente na sua conta de luz.

As vantagens de investir em energia solar

Alguns dos fatores que atraem consumidores são: a isenção de ICMS, sustentabilidade, autonomia para gerar sua própria energia, linhas de créditos acessíveis e o aumento na produção energética.

Este sistema gera uma economia nas contas de luz (de até 95% nas contas de luz), tornando-o uma opção mais barata do que depender totalmente da distribuição de energia elétrica pela concessionária.

O consumidor passa a produzir sua própria energia de maneira ecológica, sustentável, inesgotável e limpa, valoriza seu imóvel e ainda gera créditos de energia para serem usados em futuras faturas.

Estima-se um retorno de em média 20% e até 25% ao ano sobre o capital investido, dependendo da região.

A energia fotovoltaica no Brasil

A procura por projetos fotovoltaicos residenciais têm crescido exponencialmente nos últimos anos com o avanço da regulamentação do setor e a promoção de incentivos fiscais.

Segundo dados divulgados pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), a geração de energia solar própria já alcançou a marca de 6 gigawatts de potência no Brasil.

No atual cenário, o modelo de planos de assinatura se mostra muito atrativo, pois democratiza o acesso à tecnologia solar, porém, ainda não está disponível em todos os estados brasileiros.