Hoje no Brasil, é possível financiar energia solar de diversas formas por meio de bancos públicos e privados com parcelas que equivalem à economia gerada com o sistema fotovoltaico. Ou seja, se você pagava R$500 de energia elétrica e agora paga somente a taxa mínima, é possível pagar as parcelas do seu financiamento no valor de R$450, por exemplo. Mas você sabe como o financiamento funciona?

Um dos fatores principais que levam as famílias a optarem pela energia solar é a economia no final do mês, que pode representar até 95% do valor da energia elétrica, fazendo com que muitas famílias arquem apenas com os custos de taxa mínima. Porém, ainda existem diversas dúvidas a respeito do financiamento e de como ele funciona.

Para lhe ajudar, separamos um post explicando mais como você pode fazer o financiamento da sua energia solar. Confira a seguir!

Como posso financiar energia solar?

Depois de escolher o banco que tenha a melhor taxa de financiamento de energia solar, é hora de escolher a melhor forma de financiar:

Igualando a parcela do financiamento com sua economia de energia

Uma das estratégias mais usadas por quem opta pela energia solar fotovoltaica é fazer com que a parcela do financiamento fique no mesmo valor de economia de energia, a fim de evitar que você tenha que arcar com os custos do financiamento e da conta de luz.

uma das formas mais inteligentes de financiar a energia solar é equiparando as parcelas com o valor da antiga conta de luz
uma das formas mais inteligentes de financiar a energia solar é equiparando as parcelas com o valor da antiga conta de luz

Isso quer dizer que por meio da sua geração de eletricidade a partir do sistema fotovoltaico, o valor abatido no final do mês da sua conta de luz será usado para arcar com a parcela do financiamento. Para isso, você deverá fazer a engenharia reversa.

Imagine que você consuma 650 kWh de energia mensalmente, e a tarifa da sua cidade seja de R$0,90. A média de sua conta de energia será de R$585 por mês. Se formos tirar a taxa mínima da conta de energia, que gira em torno de R$60 na maioria das regiões, sua economia depois de instalar o sistema de energia solar será de R$525 por mês, e o ideal é que sua parcela seja igual ou menor do que esse valor.

Para que isso aconteça, você precisa fazer uma simulação em um banco para verificar qual seria o valor do sistema que gere os 650 kWh que você utiliza no mês e então, subtrair o total das parcelas do total do sistema.

Um sistema que gere essa quantidade de energia, por exemplo, tem um valor de investimento de aproximadamente R$25 mil, e se formos levar em conta que os financiamentos de 30 meses com uma taxa de juros de 1%, aproximadamente ao mês, o valor de entrada será de R$10 mil e os outros R$15 mil serão divididos em parcelas de R$550.

Vale lembrar que essa é apenas uma suposição, e você deverá verificar as condições e taxas de juros nos bancos que disponibilizam esse serviço para chegar em um valor exato.

Financiamento sem entrada

Existem algumas linhas de crédito que permitem que o financiamento seja feito sem entrada, o que facilita ainda mais para as famílias que desejam investir em energia solar fotovoltaica.

Nesses casos, o financiamento é dividido em 60-120 meses, mais do que o dobro do exemplo com entrada, e o investimento também gira em torno de R$25.000 com parcelas médias de R$600.

algumas empresas possibilitam até 100% do financiamento do valor total do projeto solar
algumas empresas possibilitam até 100% do financiamento do valor total do projeto solar

Esse pode ser um tipo de financiamento mais vantajoso para quem não possui o valor da entrada para investir no sistema de energia solar, e levando em conta que as parcelas serão correspondentes à economia gerada, o financiamento acaba não pesando nos bolsos das famílias que optam por ele, mesmo que dure mais do que o outro modelo.

Levando em consideração a inflação, em alguns anos depois de contratar o crédito, a família lucrará ainda mais se optar pelas parcelas pré-fixadas.

Quais são os prazos e custos envolvidos para financiar energia solar?

Os prazos dependem do valor da entrada, perfil do consumidor e linha de crédito. Em casos específicos, o financiamento pode ser parcelado em até 20 anos com parcelas relativamente menores comparado com financiamentos que duram menos tempo.

O principal fator que influencia no tempo de financiamento e juros é o valor da entrada, que gira em torno de 30%-40% do valor total, dependendo do banco escolhido.

Os custos envolvidos no financiamento tem como base a potência e quantidade de energia que o sistema produz. Uma residência que produz cerca de 1,5 kWp de capacidade de geração conta com um custo de instalação de aproximadamente R$15 mil.

Junto ao valor da instalação, é considerada a taxa de juros aplicada de acordo com a linha de crédito e banco, que pode variar entre 1-3% ao mês.

o valor do projeto varia de acordo com o tipo de instalação e potência do sistema
o valor do projeto varia de acordo com o tipo de instalação e potência do sistema

Outro fator que impacta no valor do financiamento é onde ele será instalado. Em zonas rurais, por exemplo, em que há necessidade de maiores equipamentos e baterias, especialmente onde a rede da concessionária não consegue atender, o valor do investimento tende a ser relativamente maior.

No entanto, a vantagem é que o proprietário não terá que arcar com a taxa mínima da conta de luz, ficando com apenas a parcela do financiamento.

Leia também Qual banco tem linha de crédito para energia solar? Qual o mais vantajoso?

Agora que você viu como pode financiar energia solar, não deixe de fazer uma simulação no banco escolhido para avaliar quais as melhores linhas de créditos e melhores condições. A partir disso, fica mais fácil avaliar quais as parcelas que mais se aproximam do valor da sua conta de luz, levando em conta a potência do seu sistema e quanto de economia ele poderá gerar.

Faça a sua simulação de financiamento de energia solar sem entrada no site da Sol Fácil!

Resumo do post

Posts Similares

Estórias Solares